quarta-feira, 31 de outubro de 2012

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Confraria em meio ao verde

Ok, talvez seja um exagero, mas a sensação é de que estás em um local retirado e distante da cidade grande. Mesmo que ao fundo possam se ver as torres da Petrobrás.
É o segundo Encontro do Mês que não ocorreu em Porto Alegre, pois o primeiro foi na casa do Confrade Diego, no fechamento de Encontros do ano 2011.
Este mês também tem outro diferencial. Seria o mês de escolha do Encontro do amigo Chacon, mas já que a agenda do colega está cheia, devido ao nascimento de sua primeira herdeira, decidimos isentá-lo de preocupações que não com a pequena Isabela, e cá estou!

Desde que começamos nossos encontros que eu queria escolher um local onde pudéssemos degustar um bom sushi. Como alguns já sabem, faz pouco tempo que estou morando no bairro São José em Canoas, próximo a Ulbra, e sempre me intrigou o Koi Sushi, que fica ali no bairro Morada das Acácias.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Temperos de GodFather III

Quem não se lembra do histórico final de um dos maiores filmes da história do cinema ?? Al Pacino muito bem, Andy Garcia bem... Sofia nem tanto. Mas Francis com sua genialidade neste final da trilogia, de quase 1 hora. Pois é, o mesmo show desembarca em POA pela nossa querida OSPA.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Temperos de Coquinaria !

Padaria gourmet sempre é uma boa dica. Delícias, petiscos, queijos, salames, temperos, azeites... apetrechos de cozinha, tudo muito convidativo. Bem vindo à Coquinaria !!

Placa de entrada...

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Temperos e Hábitos Santiaguinos !

Faltam bares de vinho em Porto Alegre ?? Sim, claro que sim. Faltam no Brasil. Se ainda sofremos para encontrar restaurantes com apenas (boas) taças de vinho, imagina o hábito de termos bares de vinhos, simplesmente... ainda podemos avançar.

Ainda, precisamos descobrir que tomar 1 taça, apenas, pode ser algo bem razoável e pagar um preço razoável. Há 4 semanas paguei, no Brasil, R$ 17,00 por uma taça (pequena) de um vinho que custa em torno de R$ 32,00 a garrafa. É para arrebentar o cliente mesmo e não voltar nunca mais.

Somente 1 taça, senhor garçom...

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Temperos Doces Latinos

Pois bem, um dia chuvoso como o de hoje pode lembrar muitas coisas... vinho ? pode ser, sempre... filme ? claro, por que não um clássico de Al Pacino ou outro dinossauro... comida ? sempre bem vinda e melhor ainda se preparada junto com as pessoas que amamos... doces ? why not, já diria Jim Morrison.

Então tá, dá uma passada na Diego Andino e desfrute dos deliciosos doces. Cafés, nem tanto. Mas os doces, ah, os doces... nem que tenha que esperar um pouco para pegar uma mesa (tudo bem, pode ser deselegante... e eu detesto ficar em fila, aliás, nunca fico). Demos sorte e pegamos um lugar bacana.

É ver e aproveitar. E correr para comer quando der um tempo no meio da tarde;

Mil folhas... que tal ?

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Sons de Montevidéu

Gente, estive eu com esposa e amigos em viagem por Montevidéu durante o feriadão do último dia 20/09.
Os amigos confrades já tem experiência latina e faltava apenas eu me inserir neste mundo, diga-se de passagem, muito interessante e que apresenta muitas curiosidades e experiências maravilhosas!
Virão alguns posts, mas quero começar com alguns trabalhos que lá adquiri de artistas locais.

Bom, no final de sábado (22/09), loja quase fechando, e com meu espanhol de dar inveja, adentrei na rua 18 de Julho, na loja Palácio da Música. O atendente muito solícito tentava me ajudar, pois pedi por rock uruguaio. Disse que era brasileiro e quer queria conhecer algo local. Ele me apresentou a gôndola onde estavam as seleções de rock e sem pensar ou analisar muito, peguei as duas capas que achei mais interessante. O caixa, quando perguntei se estava adquirindo artistas legais, respondeu apenas que eu iria gostar e que eram “muy buena elecciónes”! Acho que foi isso que ele falou...

Banda Grafitti e Federico Deutsch & Maverick.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Bandas que acabaram e todo mundo quer que volte (menos elas próprias)

Top Tudo  02/10/2012 | 16h50
Mais um fracasso em reunir os Smiths faz lembrar outras formações que todos gostariam de ver.

O Led Zeppelin é uma das bandas cujos fãs mais aguardam um retorno

Os Smiths tiveram uma carreira curta (lançaram quatro discos entre 1984 e 1987), mas suficientemente marcante para conquistar fãs contemporâneos e muitos outros nas décadas seguintes. Tanto que, vira e mexe, alguém cogita reunir novamente o quarteto formado por Morrissey, Johnny Marr, Andy Rourke e Mike Joyce. Até hoje, porém, ninguém conseguiu a façanha.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Temperos com Devoção nas Alturas!

Imaginem um encontro nas alturas. Foi o que aconteceu neste dia 14.09.2012.
O nosso almoço foi realizado no 7ª andar da Casa de Cultura Mário Quintana.
Café Santo de Casa
Do alto, vislumbramos uma das vistas mais lindas do centro da cidade, o Rio Guaíba.

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Hefeweizen: cerveja para o fim da manhã

Tradicional na Bavária, bebida à base de trigo tem gerado interesse em cervejarias americanas.
Cerveja do estilo hefeweizen é componente essencial do brotzeit, o segundo café da manhã na Bavária.

No calor do final do verão, quando meio mundo parece ter saído da cidade de férias, um copo de cerveja de trigo ao fim da manhã pode ser outro tipo de saída agradável. Na Bavária, lar do estilo hefeweizen de se fazer a cerveja de trigo, esse refresco é um componente essencial do brotzeit, ou segundo café da manhã.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Temperos de Elvira !!

O encontro de Agosto de 2012 retornou ao Centro de Porto Alegre. Pegou a tradicional Av. Farrapos após o Hotel Roma e seguiu rumo ao Chalé da Praça XV, local histórico da cena Porto Alegrense. Fundado ainda no século XIX, o local já foi ponto boêmio, local de destaque gastronômico, ponto de moradores de rua, ficou abandonado e há alguns anos foi ampliado, reformado e apresenta hoje uma boa opção para o cidadão e turista em nossa capital.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Crônicas do Roma Hotel numa sexta do Rock!

Abrindo a galeria dos posts mais atrasados da Confraria, chega o relato do encontro de julho, onde minha sugestão foi o já conhecido e clássico Hotel Roma.

Conversando com um dos donos, enquanto aguardava os Confrades, e observando o volume de pessoas que aguardavam a abertura dos trabalhos do restaurante e cozinha, ele me relatou que sente por Porto Alegre ter um fluxo fraco de turismo, mas citou que o turismo de negócios é forte e sempre há muito movimento no Hotel, sendo que a maioria dos hóspedes são de pessoas do interior do nosso estado.

Os colegas até então não tinham chegado, e isso já faziam uns vinte minutos. Motivo; o local não tem estacionamento pois fica numa pequena ruela sem saída próxima a estação Farrapos do metro. Então fica a dica, agendado almoço no Roma Hotel, chegue cedo ou procure estacionamento nas ruas pararelas e proximidades e caminhe um pouco. Estacionar perto do local é quase impossível!
O Confrade Chacon chegou perto das 13h mas ele tinha compromissos profissionais que o impediram de estar conosco no horário de início de nosso almoço.
Detalhe interessante é de que aqueles que agendaram a mesa, só podem sentar e ter acesso ao salão do restaurante do hotel, após a liberação da recepção do hotel e da chegada de todos aqueles que fizeram a reserva, ou seja, eu tive de aguardar a chegada do Vicente e do Diego para podermos nos sentar. No mínimo, diferente!

terça-feira, 31 de julho de 2012

Temperos de Rosário, Argentina !!

Eu aguardava um show do Fito Paez desde 2008, quando Pacino e eu fizemos a longínqua Viagem do Prata. Deu na trave algumas vezes, outras não fui por interesse; e isso que nem foram tantas oportunidades assim. Mas para o dia 29 de Julho de 2012 o cara confirmou um show em Porto Alegre e, desta vez, eu não perderia esse show por nada.

Fito Paez em Porto Alegre - 2012

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Final de domingo diferente

Antes de sair de casa eu ainda me perguntava se aquele frio e a falta da minha TV e um bom filme no domingo a noite não iriam me deixar órfão da preguiça.
Afastei a idéia da mente e cai de cabeça no convite do Confrade Vice, para o show do RPM no teatro Bourbon Country, domingo passado as 20h.
A companhia dos Confrades (este é o segundo show da Confraria!) e suas esposas, e mais alguns amigos e parentes, deu um toque especial à noite! É sempre bom estar rodeado de amigos e pessoas que gostamos nestes momentos da vida!


terça-feira, 3 de julho de 2012

Temperos Alucinados

Paris. Em 3 de Julho de 1971, Jim Morrison morria. Ou se matava. Tanto faz, de certa forma. Ou simplesmente sumiu, como algumas teses mais sensacionalistas profetizam. Teria ido morar na África. Cada coisa que inventam.

Ainda me impressiona como este figura tem poder sobre muitas coisas, muitas pessoas. Seu estilo de vida e sua força musical ainda permanecem vivas, mesmo com sua morte ou pseudo-morte.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Temperos Tibetanos!

Neste primeiro domingo de julho, decidimos desbravar o famoso e primeiro restaurante tibetano do país, o "Tashi Ling" situado na cidade de Três Coroas RS. Subimos ao pé da serra gaúcha, com três objetivos definidos: desbravar a culinária tibetana, respirar um ar mais puro e celebrar a vida entre os amigos.

Ao chegarmos ao local, fomos muito bem recebidos pelos funcionários. Sentamos e logo chegou o chá de boas vindas (misto de frutas e um toque de flores). Demais!


domingo, 24 de junho de 2012

Temperos do Dhomba


Pois o encontro do mês de maio da confraria, foi no recentemente inaugurado restaurante do dhomba. Sob o nome de “Consultório Culinário”, o cardápio não decepciona, como entrada o dhomba tem um buffet de caldos quentes, com destaque para o caldo de feijão, acompanhado de temperos variados e torradas fresquinhas. 

sexta-feira, 25 de maio de 2012


½ século de bons sons

Pois hoje, dia 25 de maio de 2012 celebramos ½ século de bons sons, foi neste dia do longínquo ano de 1962 que as Pedras Rolantes fizeram seu primeiro ensaio – Mick Jagger, Keith Richards e Brian Jones iniciaram os trabalhos de uma das maiores, mais importantes e duradoras bandas da história do Rock.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Temperos (nada) Inspirados

Cada coisa que inventam... santa inspiração !

http://gq.globo.com/news/as-15-piores-capas-de-discos-de-todos-os-tempos/

Saludos !

By Alberton

Temperos Legionários

Começaram a remoer coisas antigas da Legião... depois de alguns bons anos sem aparecer muito, Dado e Bonfá voltaram à tona nos últimos anos... que bom.

http://oglobo.globo.com/cultura/ex-integrantes-dizem-que-especial-com-wagner-moura-marca-adeus-as-musicas-da-legiao-urbana-4904233

Vou esperar por este show... o Wagner Moura é um cara talentoso e deve dar conta do recado; dentro daquilo que é possível fazer... usará camisa branca ? dançará como Mick Jaeger ? rolará no palco, deitado no chão ? fará discursos e mais discursos ?

Esperar e ver.

Saludos !

Alberton

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Gambrinus

O segundo ano da nossa confraria, em seu primeiro encontro teve como alvo o restaurante Gambrinus o mais antigo de Porto Alegre, fundado ainda no século 19, no Mercado Público da cidade, o ambiente servia como uma confraria germânica quando foi inaugurado em 1889. Passados séculos, anos e alguns dias e, lá estávamos nós pisando num recinto histórico de POA, o local é muito democrático, frequentam desde políticos, executivos, turistas e curiosos como nós.
Mercado Público de Porto Alegre.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Mais uma vez The Wall...

Pois quem dos confrades poderia imaginar que a Confraria poderia colocar em seu currículo um encontro como este, sim, nós estávamos lá – os quatro martelos, acompanhados de colegas, amigos e parentes, no meu caso, foi uma noite mais que especial pois estava acompanhado de meu sogro, um rockeiro que viu o nascimento do Pink Floyd.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Direto de 1982, copos mais que cheios

Vinhos 11/04/2012 | 15h22
Mark Taylor, consumidor e colecionador de vinhos Bordeaux de Atlanta, nos EUA, abriu algumas de suas garrafas da safra de 1982 para degustação
Eric Asimov.

Foto: Raymond McCrea Jones / The New York Times

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Dizem que o cara é Hendrix, outros dizem ser Slash, já acho que...


Na tarde do domingo de Páscoa, após um ótimo almoço em família e retornando para casa, tive a idéia de relaxar e procurar entre meus alfarrapos, alguma coisa perdida e há muito sem ouvir.

Achei um CD que comprei ainda na década passada, e que me fez lembrar um pouco de minha época despretensiosa, sem tendências em que ouvi e curti de tudo um pouco.

sexta-feira, 30 de março de 2012

E pensar que tudo começou...

... com um vinil compacto pequeno no início dos anos 80. De um lado; Another Brick in The Wall (part 2), do outro; Young Lost. E esse era e foi o meu muro por muito tempo.


quinta-feira, 29 de março de 2012

Temperos de THE WALL com BIS²

Neste último domingo nossos olhos viajaram para o ano de 1980, talvez 81. Porto Alegre, não tem dimensão do que se passou neste dia 25 de março de 2012. Acredito que só com o passar dos anos, vamos conseguir relatar as próximas gerações a grandiosidade desta ópera-rock ao ar livre.

Mesmo para o público amante do rock como nós, ficou difícil definir se estávamos vendo um show do Roger Waters ou do Pink Floyd, explico. Foi o primeiro show ao longo dos meus 33 anos, que pouco importava se a banda estava completa ou não, a sincronia entre o muro e a projeção das luzes, nem o melhor LSD do mundo me daria este prazer, completados pela sonoridade da banda perfeita e precisa, diria que foi fria tecnicamente como os martelos do Waters, ou seja, militarmente planejado cada segundo por seu General.

quarta-feira, 28 de março de 2012

Temperos da idade!

Boa noite meus irmãos.

Listando os nossos primeiros 12 encontros mensais de 2011/2012, constatei a idade, ou seja, o nascimento destes templos sagrados da culinária gaúcha, segue abaixo os locais em ordem crescente:
- LOURIVAL: 1953,
- DON NICOLA: 1964,
- KOMKA: 1967,
- BAR OCIDENTE: 1980,
- MONTE POLINO: 1986,
- COSTELA NO ROLETE: 2001,
- ATELIER DO MAR: 2006,
- DEL BARBIERI: 2007,
- QUINCHO: 2008,
- JOAQUIM ASSADOR: 2009,
- CHICA FUNDÓ: 2010,
- CASA DO CONFRADE ALBERTON: 2010.

Temperos e Bairros de Poa/Canoas!

Confrades e amigos, boa noite!

Depois de uma longa ausência, estou retornando aos velhos post´s.
Ao longo desta extensa turnê de 1 ano com os meus três confrades, gostaria de analisar com os nossos amigos os bairros que percorremos desde o início de 2011 até o mês de fevereiro de 2012, fechando o ciclo de 12 almoços.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Temperos de Roger Waters !!

Curiosidades da vida. Há pouco mais de 1 ano lutávamos para conseguir o show integral do The Wall na turnê (única) entre 1980-1981. E Pacino, o eterno “furungador de raridades”, foi achar uma gravação vinda de São Petersburgo, na Rússia. E com boa qualidade de som e imagem. Impressionante. Já ficamos todos extasiados naquela noite em que nos reunimos para ver. E acabamos fazendo 2 sessões para confirmar se a primeira vez não tido sido mentira.

E quando pensávamos que acabaria por aqui, não, ainda teria novidades. Compro uma revista Rolling Stone em Congonhas, São Paulo, e lá está o Sr. Roger Waters anunciando a turnê The Wall. Neste meio tempo, Luca Brasi já tinha sabido da notícia; creio que o Pacino também. Ficamos malucos. Depois de alguns goles, chegamos a combinar de ver o show em Londres, até porque jamais imaginamos que o Brasil entrasse na rota.

sexta-feira, 23 de março de 2012

Temperos Paralâmicos

Este post não seria possível sem a contribuição de meu confrade Pacino. No final do post, certamente, irão entender o motivo.

Os Paralamas do Sucesso talvez sejam uma das poucas bandas brasileiras que conseguiram entrar no mercado Latino Americano de forma forte. Hoje, talvez, não com a mesma força da década de 1990. Até porque estavam com “Brasil Afora”. Mas poucos artistas nacionais tiveram tanta “entrada” em Buenos Aires, Santiago, Montevidéu e outras capitais mais próximas dos Andes quanto Herbert, Bi e Barone. Por acaso é que não foi.
Deixa-me contar a minha versão desta história. Entre e pegue uma taça de Carmenere ou Malbec. Os dos dois. Ou um copo de Patricia ou Pilsen. Ou tudo junto.



"Grife" Temperos do Rock

É legal pensar que numa pequena brincadeira surgiu a idéia de iniciarmos nossos encontros, e que esta mesma brincadeira permite que grandes amigos se vejam uma vez por mês (digo, àqueles encontros agendados, pois sempre que podemos e com a desculpa de nos vermos, montamos acampamento na casa de alguém e lá está um balde com gelo e latinhas de cerveja que nos entrete por horas e horas!).

terça-feira, 20 de março de 2012

O dia está chegando!

Pois o dia está chegando, Roger Waters no Beira Rio - 25 de março 2012, 20h - talvez a turnê mais clássica da lendária banda Britânica Pink Floyd. A banda não estará completa, mas com certeza a noite será  incrível para Porto Alegre e nossa capital nunca mais esquecer.

As exigências do camarim de Porto Alegre ainda não foram divulgadas, mas para o Rio de Janeiro Waters já avisou à produção do show The Wall - considerado um dos maiores concertos da história - que quer comida japonesa e suco de melancia em seu camarim. Na lista de pedidos também constam visitas ao Pão de Açúcar e ao Cristo Redentor.

sexta-feira, 2 de março de 2012

Temperos de Banda Chiado !!!

Há uns 12 anos atrás, ou um pouco mais, talvez, um sonho de (quase) todo adolescente se concretizava dentro de minhas lembranças mais profundas: tocar com uma banda ao vivo. Uma banda que se formou meio que por acaso, por amigos que conheceram em uma viagem para Ilha do Mel, por volta do longínquo ano 2000, e outros amigos que entraram no meio do caminho, que foi o meu caso.

Quem diria que aquele colega de trabalho iria se tornar meu amigo, compadre e, ainda, confrade alguns anos depois. Na época, veio por ele, Chacon, o convite para entrar na banda, e eu aceitei sem nunca ter tocado bateria na minha vida (apenas em sonhos, certamente) – algo que a banda certamente não sabia - e o resto é o resto. Que um pouco tentarei descrever a seguir.

Temperos Cariocas

Rio de Janeiro. Entre o Arpoador, Ipanema e Leblon. Av. Vieira Souto. Janeiro de 2012. Calor. Precisa mais ? Sim ! Uma caipira bem gelada e uma porção de almôndegas picantes para acompanhar ! Estamos no Bar Astor, boteco carioca tradicional e localizado num dos melhores lugares da cidade maravilhosa.

O Rio me lembra duas coisas: Cazuza e Caetano. Não sei bem porquê Caetano, mas são coisas que acontecem comigo... talvez aquele mar, aquela pseudo tranquilidade. Todo mundo de bermuda, biquini... estas coisas da Zona Sul. Sei lá... Bem, já Cazuza, este não precisa de muitas explicações fluminenses... quantas loucuras aquele calçadão não deve ter visto...

Temperos de Waters III

Começa hoje a Gira Latino America do Sr. Roger Waters... Santiago... Santiago...

http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/itapemafmrs/19,0,3682274,Turne-de-Roger-Waters-pela-America-do-Sul-comeca-hoje-em-Santiago-do-Chile.html


Saludos.

By Alberton

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Temperos Argentinos

Nos dias 03, 04 e 07 de Abril de 2012 rola o Quilmes Rock 2012, importante festival de Rock Latino-Americano.

Os dias 03 e 04 estão reservados para bandas de "fora", sendo que o dia 07 para bandas "nacionais". O dia 07 me interessou... Fito + Charly juntos, numa única noite... e no Monumental...

Mas informações no site: http://livepass.com.ar/#mas-info



Saludos.

By Alberton

Temperos Afinados

A revista Rolling Stone elegeu os 30 maiores guitarristas e tocadores de violão nascidos aqui no Brasil... listas e listas... sempre passíveis de conflitos, discordâncias e poucas unanimidades.

Mas, dá uma conferida por lá.

http://rollingstone.com.br/galeria/os-30-maiores-icones-da-guitarra-e-do-violao/#imagem0

Saludos.

By Alberton

Temperos Caseiros

Diferente. O encontro de fevereiro da nossa confraria foi diferente. Como estamos fechando 12 meses de encontros ininterruptos, pensei em celebrar de forma diferente. Estamos em 17 de fevereiro de 2012. E pensar que tudo começou quase que por acaso há 1 ano, no Komka. Se a confraria começou num churrasco, porque não celebrar o primeiro ano com um churrasco ?

Pois bem, entre e pegue um copo.

A idéia original era ter ido num restaurante em Canoas. Mas que, apenas alguns dias antes, fiquei sabendo que ele não abriria mais para o almoço. Ou seja: meu plano tinha ido por água abaixo. Então, “por que não fazer algo lá em casa”, pensei ? Como a data era de minha escolha, bem como o local... “e por que não...?”

Passado o impacto inicial (e pessoal) da proposta, decidi fazer o encontro lá em casa mesmo. Claro, de surpresa aos confrades que, penso, pouco suspeitaram de eu ter marcado de nos encontrarmos em frente ao meu condomínio, para irmos todos juntos ao local.

Cerca de 4 dias antes fui ao meu açougueiro e encomendei o “monstro”. O “monstro” era uma janela da costela, de cerca de 4kg, um pouco mais, desenhada especialmente para minha churrasqueira. Linear, com misto de carne e gordura, como tem que ser. Sei que meus confrades são apegados a um churrasco, então esta foi a pedida e a minha escolha para este encontro.



Pontualmente, as 08:30h da manhã, a churrasqueira já recebia seus primeiros sinais de fogo. As 9h eu queria a costela no fogo baixo, para servir precisamente às 12h. Estas 3h no fogo seriam suficientes para deixá-la macia e suculenta.

A preparação do assado começou às 8h. Pequenas limpezas de excessos. Pouca coisa. De apetrechos, apenas tempero uruguaio e sal grosso, nesta ordem e seqüência (e esta ordem é importante...). Osso para baixo e sem tocar no “monstro” durante 2:30h, apenas repondo o carvão para manter o calor. E depois mais 30 min para assar a parte de cima (apenas para dourar). E ficou um espetáculo.

Os acompanhamentos também foram gaúchos. Sugeri 3 linhas de cerveja da Dado Bier: a Original, Red Ale e Belgium Ale (minha preferida), nesta ordem, para que tudo combinasse e nenhuma “matasse” o sabor da outra. Estupidamente geladas.



Os confrades foram chegando, quase que pontualmente. E fomos aproveitando o almoço do dia. Entre os assuntos, show do Bob Dylan (que segundo o Sonny vai custar R$ 30,00 só a pipoca), histórias do Pacino em Nova York, do Luca Brasi na Nova Zelândia e do próprio Sonny em Los Angeles. Viajados estes meus confrades. Além de outros assuntos que sempre falamos e outros que combinamos sempre, mas nunca falamos.

A trilha sonora do almoço foi The Cure, com o DVD Trilogy. Espetacular. Apesar da “tristeza” do show, é um momento ímpar na história da banda. DVD gravado em Berlim, com a banda tocando muito. Pacino e Sonny se deliciaram; Luca e eu mais observamos do que ouvimos.



Por R$ 30,00 por cabeza, pagou-se a conta do açougue. E da cerveja. E dos 6kg de carvão que foram consumidos para assar o “monstro”. Barato pelas 4h de preparação e 2h de alegria, para celebrar o primeiro ano de muitos que, esperamos todos, ainda virão. Combinamos, para encerrar, que os encontros de fechamento anual da confraria (que sempre ocorrerão em Fevereiro) acontecerão na casa de algum confrade. Vamos ver se conseguimos.


A celebração continua, dia 25 de março de 2012, no Beira-Rio. Show do Roger Waters. The Wall. Momento ímpar. Talvez com camiseta, talvez com Van. Encontro que merecerá outros post´s, certamente. Mas isso é papo para outro dia.

Saludos.

By Alberton

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

11º Encontro - 13/01/2012

Tendo como pano de fundo uma chuva fria e leve, após semanas de estiagem e muito calor no estado, a tarde da sexta-feira, 13/01, foi o palco do 11º Encontro da Confraria.
Novamente fiz questão de resguardar o local em que iríamos até o último minuto. Enviei aos Confrades um mapa por e-mail, sinalizando apenas a rua que deveriam "chegar", e pedi que estacionacem onde encontrassem lugar. As 11h50min lá estava eu já aguardando.


Todos chegaram juntos e caminhando nos dirigimos até o restaurante Quincho, que fica na rua Pedro Chaves Barcelos, 651, bairro Mon´t Serrat. O conceito do Quincho é "Tipico Sabor Gaúcho".
A noite serve pratos a la carte, e ao meio dia serve buffet livre de saladas, entrada mais grelhado, e
sobremesa.

O buffet de saladas é diferenciado e rico na decoração. Detalhe para as diversas pastas e molhos para
acompanhamento. O delicioso caldo de feijão e arroz branco também são uma ótima pedida para o início dos trabalhos.

Como prato principal, eu e Vice fomos de filé de linguado e anel de cebolas à milaneza. Saborosíssimo, no ponto! O Chacon e o Diegão foram de filé grelhado e massa à carbonara. Mal passado pro Diego, como sempre, e ao ponto pro Chacon.



Os drinks que pedimos para acompanhamento destes deliciosos pratos, foram chopp da Brahma pra mim e cerveja Saint Beer pros demais. Nada de exageros, afinal a tarde era de labuta, ainda.


Particularmente, a escolha me deixou muito feliz! O lugar, simples e de muito bom gosto, se revelou um restaurante de ótima qualidade, tanto nos pratos prontos quanto o especial buffet de saladas.


A sobremesa foi um caso a parte! Os deliciosos sorvetes com cobertura de frutas vermelhas e o outro com cobertura de chocolate, foram mais que ovacionados pelos amigos de Confraria. Eu, para "tentar" me manter na dieta, agradeci e assisti ao deleite dos Confrades, que durante os minutos em que saboreavam suas sobremesas, mantiveram em silêncio, um momento de reflexão à mesa...


Recomendo e pretendo retornar à noite para prestigiar os pratos a la carte.

No final das contas, R$ 42,00 por Confrade, pagou nossa conta. O que achei dentro do esperado, pela bela e saborosa refeição que tivemos.

O som do Encontro, que há tempos queria ter apresentado ao grupo, ficou por conta do Stray Cats, banda inglesa do final dos anos 70 com total influência Rockabilly. Espero que curtam:
http://www.youtube.com/watch?v=9a8Pkw9VBR8&feature=player_embedded

Abraços e até a próxima.
By Roehrs.

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

The Cure-Cabelos, Batons e Canções que apertam corações (blognovela-capítulo 3)

(1985 – 1993) Sucesso Comercial
Em 1985, após uma longa conversa num bar, Simon Gallup regressa aos Cure e Andy Anderson entretanto já tinha sido substituído por Boris Williams na tournée do The Top. The Head On The Door é lançado e desta vez conseguem verdadeiramente atingir o mainstream. Os singles "In Between Days" e "Close To Me" são músicas que ainda hoje se ouvem em qualquer lugar. Para além desses clássicos este álbum possui outras preciosidades que marcam a história da banda como a "Sinking", "Push", "The Baby Screams", "A Night Like This", entre outras. Foi um álbum que marcou a banda e os deu a conhecer ao mundo, pois até aqui tinham sido uma banda apenas conhecida em certos circuitos alternativos. Uma particularidade deste álbum é que a música "The Blood" teria sido escrita após Robert Smith ter bebido uma garrafa de vinho do Porto, Lágrima de Cristo. Tentaram fazer uma música inspirada no fato, mas como os resultados não foram satisfatórios, decidiram-se por um som inspirado em flamenco.
Formação Clássica :A formação clássica do The Cure, por incrível que pareça, não foi à inicial, ela se deu a sete anos depois do início da banda, mais precisamente em 1985 e durou até 1989.

Simon Gallup – Baixo
Boris Williams – Bateria
Robert Smith – Guitarra, voz, violino, baixo e teclas.
Porl Thompson - Guitarra, Teclas e Saxofone.
Lol Tolhurst – Bateria de 1976 até 1982 e Teclados de 1983 até 1989.

1985 – The Head On The Door
Em 1986 é quando o sucesso se torna num fenómeno de popularidade, assim que os The Cure lançam a compilação Standing on a Beach / Staring at the Sea. "Boys Don't Cry", que, em 1980, quando foi lançada, não teve o sucesso esperado, em 1986 torna-se um hino da banda. Neste mesmo ano, Robert Smith chocou o mundo da música quando apareceu de cabelo cortado; a MTV dedicou vários blocos noticiosos acerca do assunto. Acerca do assunto, Robert afirma: "É muito mau quando as pessoas te reconhecem pelo teu corte de cabelo e não pela música. Eu estava farto de ver tantas pessoas que se pareciam comigo." Da tour de 1986 seria editado o vídeo In Orange.

1986 – Standing On The Beach – The Singles

Em 1987 gravam no sul de França um disco duplo, Kiss Me Kiss Me Kiss Me, um projecto arrojado, com músicas pop belas contrastando com músicas cheias de raiva, relembrando o período mais negro da banda. "Why Can't I Be You?", "Catch", "Hot Hot Hot!!!" e "Just Like Heaven" são algumas músicas do lado pop, que contrastam com "The Kiss", "Torture" ou "If Only Tonight We Could Sleep", "The Snakepit" entre outras. Actuam pela primeira vez num país lusófono - o Brasil, com oito concertos: três no Ibirapuera em São Paulo, dois no Gigantinho em Porto Alegre, dois no Maracanãzinho no Rio de Janeiro e um no Mineirinho em Belo Horizonte. Lol Tolhurst, estava com cada vez mais dificuldades para actuar ao vivo devido aos seus problemas de alcoolismo levando Robert Smith a optar por convidar Roger O'Donnell dos The Psychedelic Furs para o assistir.

1987 – Kiss Me Kiss Me Kiss Me
Em 1989, surge o álbum que é considerado de uma forma mais ou menos consensual o melhor álbum da banda, Disintegration. Gravado numa fase particularmente difícil para o Robert, que na altura vivia a angústia da passagem para os trinta anos e da consciencialização de que o passado não volta, conseguiu canalizar todo o seu desespero para as suas letras e música. Nunca o triste e belo estiveram tão perto da perfeição e foi considerado o álbum do ano para a Melody Maker. Com este disco e especialmente com os singles alcançam bastante atenção mundial. "Fascination Street", "Pictures Of You", e principalmente, "Lullaby" e "Lovesong" atingem óptimas posições nos "tops". Laurence Tolhurst, é afastado da banda devido aos seus problemas com o álcool e fraca contribuição para a banda, após um últimato do resto da banda a Robert Smith; Roger O'Donnell que já tinha sido contratado em 1987, assegura a função totalmente. Após uma tournée mundial que pela primeira vez passa por Portugal, no Estádio de Alvalade em Lisboa, Robert despede-se com um "goodbye and I'll never see you again" ("adeus e eu nunca mais vos verei novamente"). Também afirmou à imprensa que esta seria a última tournée que faria. No entanto as suas ameaças não se viriam a confirmar.


1989 - Desintegration
 Em 1990, "Lullaby" recebe um Brit Award para a categoria de "melhor videoclipe". Neste mesmo ano O'Donnell opta por deixar a banda e é substituído por um roadie, Perry Bamonte, que nunca tinha tocado teclados na vida. Ainda em 1990, Robert Smith surpreende todo o mundo com um álbum de remixes de algumas das suas mais conhecidas músicas. Mixed Up é o nome do álbum, o qual choca tanto a crítica mundial como os seus próprios fãs. Deste álbum serão extraídos os singles, "Never Enough" e "Close To Me" versão remix.

Em 1991, os leitores do jornal de música britânico Sounds elegem os The Cure como a "melhor banda ao vivo". Ganham também o prémio para "melhor vídeo promocional" ("Never Enough"), enquanto Robert ganha o prémio de "melhor músico" e "melhor voz masculina" Ainda em 1991, vencem outro Brit Award; desta vez são distinguidos como a "melhor banda britânica".
Em 1992 sai um novo disco de originais, Wish, que tinha a difícil missão de superar o admirável Disintegration. Por isso mesmo para muitos foi uma decepção mas esquecendo o facto de ser praticamente impossível superar tal álbum, Wish não deixa de ser notável. "A Letter To Elise", "High" e especialmente "Friday I'm In Love" foram os singles que mais uma vez atingiram os "tops" mundiais. O álbum atingiu o top de álbuns mais vendidos no Reino Unido e foi segundo nos Estados Unidos. Ignorando a parte comercial, este álbum possui igualmente temas incontornáveis como "Open", "From the Edge of the Deep Green Sea", "To Wish Impossible Things", entre outras. Foi o álbum de originais dos Cure que mais vendeu.

1992 - Wish
Os The Cure tinham atingido o auge da sua fama. Seguiu-se mais uma gigantesca tournée mundial, da qual seriam editados dois álbuns; Show (com o lado mais comercial) e Paris (priorizando as canções mais intimistas). Aqui terminava mais uma fase dos The Cure. Boris Williams e Porl Thompson estavam de partida.
Após a debandada, Robert Smith estava também a lidar com o processo que Lol Tolhurst lhe moveu em 1991, contra a sua pessoa e a Fiction Records, por direitos sobre o nome da banda e mais direitos financeiros que julgava ter. Apesar de ter perdido o caso, Lol Tolhurst causa danos na banda, que neste período praticamente deixou de existir.


By Vice.